Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo PABX 3130-2000 Central Atendimento 3130-2100
Mapa do SiteTSEOutros TREInício
Urna Eletrônica

EmpréstimoHistóricoVantagensCaracterísticasVoto passo a passoSegurançaApuração da Eleição

Características

A urna eletrônica é um microcomputador que serve apenas para a votação, constituindo-se pelo Microterminal e pelo Terminal do Eleitor.

Funciona ligada à rede de energia elétrica (110 ou 220 Volts sem necessidade de ajuste) e, na falta desta, possui uma bateria interna com capacidade de funcionamento para 12 horas (modelo 2000), 3 horas (modelo 1998) e 1,5 horas (modelo 1996). Se a bateria interna não for suficiente, a urna poderá ser ligada a uma bateria de automóvel, podendo funcionar assim durante todo o dia.

As urnas 2000 foram produzidas pela Procomp, empresa nacional vencedora de licitação promovida pelo TSE. A empresa também foi responsável pela fabricação das urnas usadas em 1998 e pela atualização das utilizadas em 1996, que foram produzidas pela Unisys.

A programação foi desenvolvida pelo TSE e sua linguagem é totalmente criptografada (registro em sinais) de forma a garantir a segurança do sistema.

A urna foi desenvolvida por técnicos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) de São José dos Campos, da Aeronáutica e do Ministério do Exército, em conjunto com o TSE.

MicroterminalMicroterminal

É posicionado na Seção Eleitoral próximo ao presidente da mesa, sendo constituído por um teclado numérico 0 a 9, teclas "CONFIRMA" e "CORRIGE", e visor de cristal líquido e os "leds" de sinalização que , quando acesos indicam:


Vermelho a urna eletrônica está sendo alimentada através de bateria interna ou externa.

Amarelo a urna eletrônica está sendo utilizada por um eleitor.

Verde a urna está liberada para a identificação e votação do próximo eleitor.

É no microterminal que o presidente da Seção Eleitoral digitará o número do título de eleitor e, confirmada a sua identidade, o autorizará a votar. É nele também que digitará a senha de encerramento da votação. Quando a senha de encerramento for confirmada, o Terminal do Eleitor imprimirá, automaticamente, a 1 via do Boletim de Urna (B.U.) Se a impressão estiver correta, o presidente da mesa apertará a tecla "CONFIRMA" no Terminal do Eleitor e, enquanto são emitidas as outras 4 vias obrigatórias do B.U., os dados da votação serão gravados no disquete que servirá para a exportação dos dados daquela seção.

Esse disquete, devidamente identificado, acompanhado dos documentos da votação (caderno de folhas de votação, ata da eleição e três vias do B.U.), será encaminhado para a Junta Eleitoral que, atestando a validade da votação, o liberará para a transmissão dos dados.

No caso de eventual quebra da urna eletrônica, ela será substituída por outra. Não sendo possível a substituição, a seção passará para o sistema tradicional de votação.


Terminal do EleitorTerminal do Eleitor

Na parte frontal encontram-se a tela de cristal líquido, onde são visualizadas as instruções para o eleitor, bem como durante a votação, o nome, número, partido e foto do candidato escolhido e ainda, o teclado numérico com teclas de 0 a 9, "BRANCO", "CORRIGE" e "CONFIRMA". Todas as teclas têm gravado o código braile correspondente e no número 5 há um ponto de referência para orientação do eleitor deficiente visual que não lê braile.

VoltarSubir